segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Pacotes de viagens batem recorde


Viajar é uma prática muito utilizada para descansar, deixar o estresse de lado e renovar as energias. Além de conhecer lugares novos e desfrutar de momentos únicos, as viagens também unem famílias e amigos, que aproveitam o final de ano para se encontrarem. Com a correria, compromissos e trabalho ocupando o trabalhador o ano inteiro, dezembro é mês mais indicado para se tirar férias. 

No Natal as famílias se reúnem e fazem a ceia em lugares mais pessoas, como a própria casa. No entanto no Ano Novo cada uma escolhe seu destino para receber 2012, que já chegou.

Em 2011 as agências de viagens bateram o recorde de vendas de pacotes de viagens para a noite de Reveillon. 

A empresária Clara Trida, que atua no mercado de agências de viagens há 16 anos, aponta que este foi o ano dos pacotes de viagens. 

Os destinos mais procurados pelo catanduvense foram os cruzeiros marítimos, litoral norte, Rio de Janeiro, Punta Cana e América do Sul. 

“Tivemos alguns grupos que se reuniram e foram para Europa, Estados Unidos, Orlando, Miami, Nova York. Nesse tempo de profissão nunca vi nossa região com essa movimentação toda”, explica Clara Trida. 

Uma semana em Punta Cana sai em torno de R$ 3.500, enquanto para o exterior $ 1.900 (dólares), valor aproximado de uma viagem ao nordeste brasileiro. 

“Os pacotes desse ano foram acessíveis para todos os ‘bolsos. Vendemos pacotes para Porto Seguro a partir de R$ 1.200, Arraial d’ajuda, e também Tahiti por uns R$ 11 mil. Os valores estavam acessíveis para várias condições financeiras”, exemplifica. 

Só para o período de Ano Novo foram vendidos mais de 50 pacotes. Os embarques começaram no dia 27 de dezembro. 

“Com a queda do dólar as viagens ficaram com preços muito bons”, justifica. 

NORDESTE

Com duas agências de viagens, sendo uma em Catanduva e outra em Novo Horizonte, a agente de viagens Jocimara Donadoni viu todos os pacotes para o Ano Novo serem vendidos sem dificuldades. 

Os destinos mais procurados foram Porto Seguro e Fortaleza (CE). 

“Vendemos bastante. O nordeste sempre é um destino muito procurado. Para a virada do ano, não vi nenhum pacote sendo vendido para Sul”, afirma Jocimara. 

Os valores para a região nordeste são a partir de R$ 1.200 e até R$ 3.500 para resort. 

“Superamos as expectativas e vendemos mais de 50%, se comprado com a movimentação do ano passado (2010) que foi muito fraco. O preço caiu e com as facilidades de parcelamento, dez vezes sem juros, foram ‘chamariz’ para as vendas”, afirma.  

Quem comprou pacote de viagens para essa data o fez no meio do ano e não deixou para a última hora. 

“Em sete anos de mercado, esse, sem dúvida, foi o melhor. Agora estamos tendo bastante procura para o carnaval”, finaliza. 

CANCUM

Flávia Nobaubos Soubhia, consultora de viagens, viu a procura pelos pacotes aumentar em setembro. Caribe, Punta Cana e Cancun foram os pacotes mais vendidos. 

Em território nacional, os resorts do nordeste e os cruzeiros foram os mais procurados. 

“As viagens atenderam todas as classes sociais. Viagens a partir de R$ 1.600 até $ 2.000 dólares, além da facilidade de parcelamento”, finaliza. 

TURISMO

Até novembro, 8,263 milhões de turistas estrangeiros desembarcaram no país. No mesmo período, em 2010, foram 7,212 milhões. A Associação Brasileira de Agências de Viagens – Abav, estima que o Brasil cresça de 15% a 20% no setor de turismo neste verão, em relação ao mesmo período do ano passado.

No entanto, chama a atenção para a falta de sincronia entre o aumento de turistas no país e a infraestrutura necessária para recebê-los. “Os portos melhoraram, mas o movimento cresceu tanto, que ainda não estão preparados”, exemplifica.

“Nos aeroportos, menos ainda. O turismo está crescendo, mas a infraestrutura não está acompanhando. Todas as obras que foram feitas até o momento ainda representam muito pouco em relação às necessidades”, aponta a Abav.

O Ministério do Turismo divulga que 8,263 milhões de turistas estrangeiros desembarcaram no país até novembro deste ano. Em 2010, foram 7,212 milhões. Ou seja: houve alta de 1,050 milhão de visitantes de fora no período.

O crescimento foi ainda mais expressivo nos desembarques domésticos. Até novembro de 2010, o turismo interno aéreo representou 61,759 milhões de passageiros. De janeiro a novembro de 2011, foram 71,768 milhões, um crescimento de 10 milhões.

TURISMO DOMÉSTICO

O Ministério do Turismo aponta que nos últimos três anos, o turismo doméstico ganhou força e importância na economia brasileira. Para cada dez brasileiros que fazem viagens domésticas, apenas um viaja para o exterior. Entre os que viajam para outros países, 70% também fazem viagens nacionais. Cerca de 30% do custo total da viagem internacional fica no Brasil, beneficiando principalmente empresas brasileiras dos segmentos de transporte aéreo, operadoras e agências de viagem. Os dados são do Departamento de Estudos e Pesquisas (Depes) do Ministério do Turismo.

Outro indicador de crescimento é a expansão do mercado consumidor de turismo, que aumentou 16% no país. O número de brasileiros que viajam saltou de 43 para 50 milhões de 2007 para 2010. A principal responsável pelo incremento foi a nova classe média. O número de viagens também cresceu: passou de 156 milhões, em 2007, para 186,5 milhões, em 2010.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), para cada 100 empregos criados na hotelaria, outros 26 são criados na indústria, e a cada R$ 100 faturados pelo setor hoteleiro, outros R$ 76 são injetados na indústria brasileira.

Para o ministro do Turismo, Gastão Vieira, “a saudável competição de preços entre as empresas aéreas, a incorporação de consumidores à classe C, aliados ao crescimento da renda, crédito e emprego no Brasil, resultam em um crescimento efetivo das viagens turísticas, especialmente para dentro do Brasil”.

Segundo o diretor do Depes/MTur, José Francisco Salles Lopes, a expectativa para 2012 é que o turismo doméstico “tenha crescimento moderado, em razão da delicada conjuntura macroeconômica internacional”. Atualmente, o turismo doméstico responde por cerca de 85% do turismo brasileiro. Já a participação do setor turístico no Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil é de 3,6% (aproximadamente R$ 132 bilhões).

Fonte: O Regional

Nenhum comentário:

Postar um comentário